domingo, 5 de junho de 2011

Uma reflexão em "dia de reflexão" ...

.

Em dia de reflexão eleitoral deixo-vos aqui alternativas às perguntas que talvez muitos estejam a fazer hoje para decidir o que fazer amanhã em frente a um papel e a uma caixa metálica...

Talvez essas perguntas de hoje envolvam partidos políticos ou mesmo os líderes desses mesmos partidos, como se eles fossem os responsáveis pelos nossos estados de espírito, como se eles fossem o motor que alimenta os nossos comportamentos, como se deles dependessem os nossos resultados, aquilo que obtemos da vida.

Proponho que façamos as seguintes perguntas:

O que é que realmente eu quero para o meu futuro, o que faz sentido para eu viver mais alinhado comigo mesmo?

Que intenções e que objectivos estou disposto a assumir comigo e a partilhar com os outros?

Em que é que me vou focar? No que depende de mim ou no que depende dos outros? Na queixa ou na forma como posso influenciar o que e quem me rodeia, facilitando o que realmente impulsiona os meus objectivos e consequentemente os meus resultados?

O que estou disposto a fazer para traçar o meu caminho? Que preço estou, a cada momento, disposto a pagar? Qual a minha disponibilidade para assumir escolhas e ser totalmente responsável pelas suas consequências?

Talvez o dia de amanhã seja apenas o dia em que podemos escolher quem acreditamos que possam ser as melhores pessoas para nos ajudarem a fazer o Portugal que estamos, cada um de nós, a construir e não as pessoas que vão construir o Portugal para nós.

.


1 comentário:

pinguim disse...

Nestas eleições,penso que o clássico dia de reflexão serviu para muito poucos.
Poucos foram os que não tinham reflectido tudo.
Penso que a reflexão vai começar amanhã, quando o novo líder já não tiver como objecto das suas palavras a crítica constante a Sócrates, mas sim a árdua tarefa de perceber o que é governar um país em tamanha crise.
Nisso é que todos devemos reflectir.