quinta-feira, 21 de agosto de 2008

VARIAÇÕES INCONTORNÁVEIS

Muda de vida se tu não vives satisfeito
Muda de vida, estás sempre a tempo de mudar
Muda de vida, não deves viver contrafeito
Muda de vida, se há vida em ti a latejar

Ver-te sorrir eu nunca te vi
E a cantar, eu nunca te ouvi
Será de ti ou pensas que tens...que ser assim?...

Olha que a vida não, não é nem deve ser
Como um castigo que tu terás que viver
Olha que a vida não, não é nem deve ser
Como um castigo que tu terás que viver

Muda de vida se tu não vives satisfeito
Muda de vida, estás sempre a tempo de mudar
Muda de vida, não deves viver contrafeito
Muda de vida, se há vida em ti a latejar

A.Variações

3 comentários:

@me@@@ disse...

esta é uma daquelas músicas (agora cantada pelos HUMANOS) que tem subjacente à letra uma grande verdade...

Tony disse...

Não sei se era ele que escrevia as “letras” (e são tantas) ... mas foi uma perda insubstituível ! Em vivo, riam-se dele, hoje, “foi um génio” (na minha opinião) !

PAULO disse...

As grandes letras têm sempre adjacentes grandes verdades.
Penso que era mesmo ele que as escrevia e "apenas" parecia diferente ...