terça-feira, 2 de dezembro de 2008

SABIAS?

Ela – És sempre assim tão optimista?
Eu – Sou…
Ela – Nunca te vi pessimista.
Eu – Mas, não tenho alternativa.
Ela – Eu não consigo ser assim.
Eu – Porquê?
Ela – O teu optimismo cansa-me! Sabias?


Não sei dizer se o facto de termos vivido acontecimentos negativos ou positivos nos podem fazer alterar a nossa atitude perante a vida, ou ainda se os acontecimentos negativos nos tornam “mais negativos” ou “mais positivos”, e vice versa, ou se já nascemos assim.
Acho que podem acontecer todos os casos, “cada um é como cada qual…” .
Eu tenho no entanto a certeza que o facto de alguém ser “muito” uma das características descritas pode interferir com o equilíbrio da outra pessoa ou das outras que estão muito próximas, sem maldade obviamente, mas é uma inevitabilidade.
O facto de eu ser um optimista (patológico…?) tem muitas vantagens mas também tem a desvantagem de raramente me deixar fazer reavaliações da vida “em baixa” e isso é um problema.

10 comentários:

Cris... disse...

Eu agradeço teu optimismo, amigo!

Lize disse...

O pessimismo faz mal :) E não resolve nada.

Beijocas

Ana Camarra disse...

E se ficares pessimistas consegues resolver alguma coisa?

BEIJOS

Missanguita disse...

O meu pessimismo cansa-me...

Ianita disse...

Normalmente é o pessimismo que cansa, porque é deprimente, porque é para baixo, porque é parvo, porque sim...

Mas sim, também posso ver em que medida alguém sempre alegre e contente possa irritar :)

E quando a aura mediocritas não é possível, ainda bem que os pessimistas têm amigos optimistas e vice-versa, se não era uma grande chatice!!

Kisses

Dawa disse...

O optimismo sempre melhora as coisas. Estás no bom caminho. :P
Beijinhos

Noiva Judia disse...

Pois eu sou pessimista, não por natureza, mas pelas circunstâncias da vida. O optimismo só me trouxe desilusões. O pessimismo pelo menos, prepara-me para o pior.

Pax disse...

O optimismo é meio caminho andado para o sucesso e não percebo como possa cansar. Mas isso sou eu.

:)

PAULO LONTRO disse...

Não deixam de ser curiosas algumas das observações que vocês escreveram aqui.
Não sei dizer se o facto de termos vivido acontecimentos negativos ou positivos nos podem fazer alterar a nossa atitude perante a vida ou não, ou ainda se são os acontecimentos negativos que nos tornam “mais negativos” ou “mais positivos”, ou se já nascemos assim.
Acho que podem acontecer todos os casos, “cada um é como cada qual…” .
Eu tenho no entanto a certeza que o facto de alguém ser “muito” uma das características descritas pode interferir com o equilíbrio da outra pessoa ou das outras que estão muito próximas, sem maldade obviamente, mas é uma inevitabilidade.
Falando pessoalmente, o facto de eu ser um optimista (patológico…?) tem muitas vantagens mas também tem a desvantagem de raramente me deixar fazer reavaliações da vida “em baixa” e isso é um claro problema.

M. disse...

Mai Nada.

:)

M.