quarta-feira, 27 de maio de 2009

O BALOIÇO DA VIDA...

Num dos blogues que visito com prazer perguntava-se o que apagaríamos da nossa vida se isso fosse possível. A pergunta era fundamentada pela frase de Millôr Fernandes , “Viver é desenhar sem borracha” .

Coloco aqui este vídeo pois ele representa muito bem a minha resposta a este tema.

Eu não apagaria nada!
O que aconteceu, já passou…

Os caminhos que escolhi foram sempre bem escolhidos porque era o que pensava e acreditava no momento da escolha. Pior seria não escolher um caminho e ficar parado (no caso do tema do vídeo seria ficar com o baloiço parado e sem viver experiencias) à espera do futuro e das “fadas madrinhas”.
É o tempo que nos diz se/que as expectativas das nossas decisões, das nossas escolhas, foram ou não atingidas mas a escolha já foi feita e temos que aprender com ela e responsabilizar-nos pelas consequências das mesmas.
Na minha opinião seria uma perigosa estratégia apagar da nossa vida os eventos que não atingiram as nossas expectativas, sem eles não teríamos pontos de referência nem a possibilidade de aprender com as experiencias.

21 comentários:

Pax disse...

"Os caminhos que escolhi foram sempre bem escolhidos porque era o que pensava e acreditava no momento da escolha."

E eu lembro-me de que foi uma frase idêntica a essa que provocou a nossa primeira troca de comentários :)

PAULO LONTRO disse...

Eu sei Pax...
:)

NI disse...

Paulo, tu que me acompanhas há bastante tempo sabes que o meu lema é "nunca chores por aquilo que fizeste mas por aquilo que poderias ter feito e deixaste de fazer".

Como tal, e porque as opções que fiz e faço na vida resultaram do meu querer e/ou do que penso ser melhor na altura em que opto, é óbvio que concordo e sei que tens razão.

Contudo,

Por vezes, a vida prega-nos partidas para as quais não contribuímos minimamente. Somos como que apanhados na "avalanche". Essas, gostava de poder apagar. Porque a única coisa que aprendi foi a descrença no ser humano. E, acredita, preferia continuar na ignorância nesta matéria.

Mas tenho consciência que tens razão.

Beijo

Nota - E para não ter muito trabalho vou fazer copy past e responder-te da mesma forma no meu canto, ahahahahahah

leitanita disse...

Onde assino?
Já falámos sobre isto... É que concordo em absoluto contigo!

Gata2000 disse...

Devo ter sido a única que nuca falou disto contigo, LOL
Tenho muitos lemas de vida daqueles a que me agarro com unhas e dentes para saber quem sou, para me lembrar do que quero, para pisar o meu chão com segurança e elegância, porra, sou gaja tá.
Um deles é que não me arrependo de nada que tenha feito, apenas aprendi com os erros que cometi, e esses erros são tanto meus, tanto o que eu sou, como as atitudes correctas que tomei.
Assim sou eu, como tu não pegava na borracha para apagar, se limava arestas...isso já é outra conversa!

vício disse...

gostei do video!
muito simples mas muito simbolico.
acredito que haja que não meta a mão debaixo da chuva depois de se queimar e apenas espere por alguém que lhe cure a ferida...

Pax disse...

Por isso sei que sabes que sei que sabes que sei que sabes que não poderia concordar mais com esse tipo de pensamento :)

Spirit disse...

Adorei o vídeo. Simples mas diz tudo.

Fiquei com a mesma sensação que a Gata2000... que devo ser das poucas pessoas que nunca falou contigo sobre este assunto... lol

escarlate.due disse...

já somos dois! não apagaria nem uma virgula

Who Am I disse...

:)
beijinho conivente

K disse...

Vá, assino por baixo também. Não que ás vezes não pense que preferia que isto ou aquilo não tivesse acontecido, contudo se me pedissem para apagar diria que não.

Ana Camarra disse...

Paulo

Na perspectiva que colocas, não mudava nada.
Por outro lado houve coisas da minha vida que não dependeram de escolhas minhas e ainda provocam dor, essas mudava.

beijos

PAULO LONTRO disse...

Ok, surge aqui um dado novo, são os acontecimentos que não resultam de escolhas nossas.
Quando penso nisso tenho que aceitar que acontecimentos desses são constantes, os bons e os maus, a apagar uns teria que apagar os outros, pois nem uns nem outros resultam de escolhas nossas.
Por outro lado tenho a certeza que mesmo os acontecimentos que não dependeram de escolhas nossas e foram “negativos” podem ter formatado a nossa maneira de ser e são hoje também responsáveis pela nossa forma de decidir.
Pergunto se algumas das “boas” decisões (avaliadas no tempo presente) que tomamos hoje não advêm do facto de termos vivido situações negativas dessas e termos tido a capacidade de as vencer e de nos termos tornados mais fortes e mais experientes.

Patrícia Villar disse...

Olha, pois que concordo plenamente...e como alguém já disse, também só me arrependo do que não fiz (se bem que que deve ter sido muito pouco, lol). Aprendemos sempre com os "erros", crescemos com as "cabeçadas", aliás, como diz o ditado "o que não nos mata, torna-nos mais fortes".

Somos o que somos por tudo o que vivemos...seja lá isso bom ou mau!

Conde disse...

Não concordo, nunca concordei. Tantas coisas que eu fiz e que foram asneira, tantas pessoas que confiei e qua não devia, tantas opções que devia de ter tomado e que não tomei, tantas opções que falharam. Se isto tudo fez o que sou hoje...claro, se eu gosto do que sou...tambem, mas eu queria mais (não estou a falar de dinheiro ou bens). Gostaria de em vez de ter ficado no baloiço,umas vezes parado outras a baloiçar, de ter saltado fora e em vez do sol e da chuva gostaria de ter conhecido o sol a chuva e a lua. Porque o baloiço é limitado no seu baloiçar.

cantinhodacasa disse...

O vídeo está lindo.
Mas este baloiçar é que nos faz tomar decisoes, enfrentar as situações mais adversas..
A vida é um constante baloiçar.
Se não fosse, nunca teria sentido.
Com erros, decisões, oscilações, o que importa é que cada um de nós tenha consciência do que quer e assuma a responsabilidade do que fez/faz.
O momento também dita muitas das nossas atitudes.
Beijinho.

Anónimo disse...

Partilho das opinioes aqui dadas,mas digo a minha opiniao que mesmo mera coincidencia,é o que penso."Daquilo que fiz nao me arrenpendo",isto de a cinco anos pa cá.O que foi menos bom,digo com mágoa,foi porque nao tive coragem de saltar,já passou.Ficam as memórias boas.Porque felizmente tive tudo,tudo pa ser feliz.Mas nada que o tempo nao resolva.
Podem perguntar entao o que correu mal?!
Eu respondo simplesmente:"sao coisas da vida".

ANGIE

jardinsdeLaura disse...

Completamente de acordo!
Boas ou más todas as escolhas feitas são parte de um todo para o qual, muito ou pouco melhor ou pior, contribuíram!! O que somos é resultado directo das escolhas que fazemos, negá-las é rejeitar a nossa própria "história"!

roserouge disse...

Aquela frase "Viver é desenhar sem borracha" é brilhante. Clap, clap, clap...

Ed disse...

Onde vi eu este vídeo...

cantinhodacasa disse...

Olá. Connhecia este vídeo animado. Na altura fez-me reflectir no balanço da vida.
Tal como tu, penso que não apagaria nada do que vivi.Mesmo com alguns arrependimentos.
Bj