sexta-feira, 21 de agosto de 2009

MUITO CLÁSSICO, E POUCO FORMAL . . .


Tive a oportunidade de ver em Milão, no ano 2000, uma performance semelhante a esta, de facto, é fascinante como novos e velhos vivem a música durante o espectáculo.

Muitas vezes são estes acontecimentos populares que despoletam o gosto pela música clássica.

3 comentários:

leitanita disse...

Ópera, eram as "novelas" do século XVII e por aí adiante... E as mais populares são mesmo as dos italianos Verdi, Rossini, Vivaldi, Bellini, Donizetti ai ai ai. Quando me dizem, ah que horror aquilo é a malta a gritar, dá-me uma fúria.
Ah e Milão pois claro onde mais podia ser, o Scala que INSTITUIÇÃO!

PAULO LONTRO disse...

Um dia, passei à noite, de madrugada para ser mais exacto, na porta lateral do teatro La Scala, vi uma fila enorme de jovens. Claro que não poderiam estar em fila para ver um espectáculo aquela hora. Após perguntar disseram-me que era para obter bilhetes para o espectáculo da noite seguinte ou seja estavam lá 20 horas antes do espectáculo. Naquela fila era possível adquirir um dos poucos bilhetes (apenas 60) que custaria o mesmo que um par de cafés, o lugar, que pode ser de pé, é no 6º andar do teatro , e não gastar os mais de 100 euros de qualquer dos outros lugares do La Scala.

Até aquele momento, só tinha visto uma ópera ao vivo, La Traviata, também do Verdi, pelo círculo portuense de Ópera no teatro nacional Carlos Alberto no Porto.

No dia seguinte lá estava eu e a Catarina na mesma fila, no La Scala, vi uma ópera de Verdi (tinha que ser, em Milão), era o Rigoletto, e digo-te que mesmo lá em cima no 6º andar se ouvia os actores "até a respirar".

Foi uma excelente experiencia mesmo não entendendo nada de canto ou ópera.

leitanita disse...

Para certas coisas não precisas de perceber, só de SENTIR!
E qualquer expressão da Arte é sentimento! A ópera será uma forma elaboradada e muito pouco consensual da "coisa".