segunda-feira, 15 de fevereiro de 2010

CONTINUO A PENSAR ALTO . . .

.

video


(Depois de pensar alto, AQUI. )
.
Era uma vez um pescador que levou peixe fresco a um restaurante de praia onde estava um europeu.
O europeu perguntou-lhe se ele voltava para o mar a pescar mais. Respondeu que não. Como ainda era cedo, o europeu tentou explicar-lhe a lógica de mais peixe pescado, mais poderia vender, mais poderia investir, e poderia comprar um barco maior, poderia dar trabalho a mais pescadores, poderia abastecer o país todo, etc, etc, etc.
O pescador perguntou, mas porque razão havia ele de se estafar a pescar?
O outro respondeu-lhe que assim poderia mais tarde ter uma bela vida, bom dinheiro e poderia ir para um paraíso tropical e dormir umas sestas na rede na sombra da bananeira.
A resposta do pescador foi: mas é exactamente isso que eu vou fazer AGORA, não mais tarde quando for velho.

Para algumas pessoas, acontece serem felizes quando atingem os seus objectivos, quando têm o que querem.
Serei feliz quando tiver dinheiro ou quando tiver um companheiro ou quando a minha mãe parar de me chatear….
E o que acontece entretanto, fica-se infeliz?
E enquanto não obtemos sucesso o que somos, fracassados?

Consideremos ainda que é um mito aceitar como certo que vamos ser felizes depois de obtermos o que desejamos. Será que quem quer ser rico fica feliz só porque atingiu o “ser rico”, será que quem se apaixona e finalmente tem um companheiro/a ficará feliz para todo o sempre?
Pois não, a prática diz-nos que obter o que desejamos não é um bilhete para a felicidade. A questão é, o que nos faz escolher estarmos felizes?
Aqui vai uma dica, “Seja o que for que consigamos fazer com a infelicidade, conseguiremos fazer melhor enquanto estivermos felizes”, certo?

Está aqui em causa a velha discussão de só se ser feliz quando se tem o que se quer ou ser-se feliz por se estar a fazer o que é necessário para se ter o que se quer.
Parece confuso?

Vejamos, quando estamos infelizes queremos estar felizes, quando estamos felizes podemos querer o que nos apetecer.

Apollinaire disse: “De vez em quando, é bom fazer uma pausa na nossa busca da felicidade e simplesmente sermos felizes”.

19 comentários:

twincat disse...

Tenho essa frase de Apollinaire diante de mim na minha secretária há anos, para me lembrar todos os dias que se não for feliz hoje, perderei para sempre esta oportunidade de ser feliz! :)

...uma nota... disse...

Lindo. Fizeste-me querer saber mais sobre Apollinaire.
Simplesmente lindo.

Paulo Lontro disse...

twincat,

Aí está querida Sofia, e por muito que nos lembremos estamos sempre a perder tempo... por isso o escrevo. O dia de hoje é único, não voltará, não é um ensaio é a representação final e tem que correr bem, muito bem…
:)

Paulo Lontro disse...

...uma nota...

e por isso te escrevi o que escrevi...
:)

Rui da Bica disse...

... e parece ser tão fácil !... porque será que sempre procuramos complicar o que é fácil e está à frente dos nossos olhos ?
.

FATifer disse...

Caro amigo,

Fizeste-me lembra o dito “viver não custa, o que custa é saber viver” mas apetece-me dizer que o que custa realmente é acreditar que sabemos pois… lemos o que escreves e comentas, frases como esta:

”O dia de hoje é único, não voltará, não é um ensaio é a representação final e tem que correr bem, muito bem…”
(na qual eu colocaria um “!” e não reticencias)

… mas quantos de nós temos força para agirmos assim? (eu sei temos mas não a usamos)

Vou deixar-te com uma pergunta algo “maldosa” que é a de que, se todos conseguíssemos ser como o pescador, se não houvesse europeus, será que havia a sociedade como a conhecemos? (claro que podes logo começar por pôr em causa a nossa sociedade e se ela deveria existir nos moldes que existe…)

Fica o comentário de alguém que está cinzento como o tempo porque se pode dar a esse luxo…

Grande abraço,
FATifer

Paulo Lontro disse...

Rui,

Tens resposta para a tua pergunta?
:)

Paulo Lontro disse...

FATifer,

Caro amigo FAT, és tu que escolhes a cada dia a cor que queres sentir em ti.

Eu vejo um arco-íris quando te observo.

:)

Rui da Bica disse...

Resposta tenho, ... sei qual é : insatisfação permanente, ânsia de querermos sempre mais, ambição desmedida.

Só que, no fundo, não estou de acordo, mas é um facto que vivemos, desnecessariamente, este tipo de vida, quando já estamos bem com aquilo que temos e somos.

Não digo que seja fácil ir contra este tipo de sociedade em que vivemos. :((
.

Tia Complicações disse...

Lontro PRESENTE…… PRESENTE
Obrigada pela visitinha …; )

Felicidade é uma palavra bonita e muito desejada.
Será que existe neste mundo alguém que a conheça verdadeiramente?
Parece-me que não, senão vejamos. Quem tanto ambicionava ficar rico por uma dádiva do destino consegue enriquecer. E depois, fica eternamente feliz? Penso que, aparentemente sim, mas no fundo, lá mesmo no fundo pode sempre surgir a dúvida. Será que é de mim que gostam ou daquilo que tenho e posso oferecer.
Existe um provérbio que é muito acertado …”Se queres ver um pobre soberbo oferece-lhe um saco de dinheiro” …….. a arrogância afasta os bons e verdadeiros amigos… Lontrinho prefiro não ter taannntooo dinheiro e continuar a ter amigos, mesmo que alguns só sejam virtuais …….Beijos da Tia : O)

pinguim disse...

É por causa de tudo isso que eu nunca hei-de ser rico; prefiro ir sendo feliz...
Excelente o vídeo.

catwoman disse...

A mim já me acusaram de falta de ambição, porque ambição para mim, não é ter mais dinheiro, ou status, ou uma casa e um carro, ambição é ter um bocadinho para estar com os que amo, mimá-los e deixar-me ser mimada. É o viver isto hoje porque amanhã não sei se cá estou. Talvez esteja errada mas é assim que eu vivo a minha vida. Não digo que o dinheiro não faz falta, mas para quê aculmulá-lo só para vermos partir os que se fartaram de esperar por nós? E esperar que alguém fique connosco só porque temos dinheiro, é triste, para mim,a maior forma de pobreza.
Provavelmente, não percebi bem a questão: o dia por aqui está cinzento e o meu humor a querer variar... :)

Bjs.

Missanguita disse...

E quem não é feliz hoje?

dermatologistested disse...

felicidade... conceito lato e para a maioria das pessoas redutor... a felicidade constroi-se em todos os momentos, depende da forma como observamos coisas e pessoas e principalmente aprender a não utilizar as pessoas como coisas... nem coisas como pessoas! :) um dia feliz para ti!

Paulo Lontro disse...

Tia Complicações,

Obrigado.
Não podemos generalizar, apenas quero dizer que nada é seguro ou pré-definido.


pinguim,

Eu preferiria ser rico e feliz…


catwoman,

Talvez não haja certo ou errado, cada um sabe o que sente a cada momento.

Missanguita,

Infelizmente não será assim para todos.


dermatologistested

“ … a felicidade constrói-se em todos os momentos, depende da forma como observamos coisas e pessoas e principalmente aprender a não utilizar as pessoas como coisas... nem coisas como pessoas! “

AMÉM !!!

Brandie disse...

Eu acho que o ser humano vai sempre à procura daquilo que não tem. Estamos muito mais centrados nas falhas do que nos sucessos e isso faz-nos querer dinheiro se não o temos, ou o tão ansiado amor que nunca mais chega, etc. Independentemente do que tivermos há sempre algo mais que gostaríamos de ter.
No fundo até faz algum sentido, dá-nos objectivos para andarmos por cá:)

Paulo Lontro disse...

Brandie,

Sem duvida, e não é negativo, no fundo querer mais e melhor é importante. Esta procura deve ser natural e feita com prazer e não ser apenas o fim a partir do qual e só depois de atingido atingir a felicidade.

O que deve acompanhar esta procura do bom e do melhor são os estados promotores de sucesso e excelência e para isso devemos promover emoções positivas.

O fócus constante no que não temos e nas falhas cria estados limitadores, sendo assim é importante estarmos focados no que vamos tendo, nos sucessos que vamos vivendo. O fócus deve estar nas soluções e não nos problemas. Devemos fazer as perguntas: Qual a solução? Como posso ser mais eficiente?

Escolher a fisionomia de excelência facilita e promove emoções mais positivas e habilitadoras.

E ainda, saber que a qualidade da nossa linguagem e dos nossos pensamentos é proporcional à qualidade da nossa vida. Pensemos pois com qualidade.

:)

Raquel disse...

"Pelo sonho é que vamos..."
E quem é que desiste de sonhar?

Alexandre disse...

Olá Paulo!

Isso mesmo, o "agora" é que temos!

O Pedro Vieira escreveu no seu blog sobre o "controlo" das emoções - que só por si é um grande tema - mas quem vive o "agora" não tem de se importar com o controlo e sim desfrutar como tu bem "metaforizaste".
Um grande bem haja ao momento chamado "agora" que este é que nos deixa preenchidos e felizes!

Aquele enorme abraço.