quarta-feira, 17 de junho de 2009

ROTINAS...1


(o som deste video está muito baixo, mas é importante ouvir o texto!)


Considero-me pouco rotineiro mas acredito que há muitas arestas a limar!

As rotinas perseguem-nos, as boas e as más, sim porque também as há boas e essas são para preservar e acarinhar.

Há ainda as rotinas pequenas, as que parecem inofensivas, as que nos fazem perder tempo, as que só servem para comer tempo e não acrescentam nada à nossa vida e, essas sim, são as malignas, as que devemos contornar.

As rotinas não nos deixam experimentar, não nos deixam aprender, estreitam a nossa vida, com elas estagnamos. O baloiço pára! (link)

Pelo menos tento evita-las, a todo o custo …!

10 comentários:

Gata2000 disse...

E a rotina é uma escada para o inferno. Eu nem gosto de pensar no tempo que perco com...merdices, custa-me. E se for a ver o que fiz nos outros 3.5 anos se calhar vou chegar a triste conclusão que a vida não presta, por isso, abaixo a rotina, e as horas perdidas, vivam os segundos que nos restam para VIVER

najla disse...

Bem podes dizer que há rotinas malignas....dou por mim a perguntar-me vezes sem conta, se realmente fiz isto ou aquilo, porque afinal todos os dias o faço...rotinas estupidas, rotinas que nos fazem perder tempo, vontade, mas que são quase obrigatórias!

bjs

spritof disse...

rotinas... rotinas...

também não gosto de rotinas, mas a verdade é que em matéria de tempo perdido, seja em rorinas ou em quaquer outra não rotina... vai quase dar ao mesmo a menos que tenhamos consciência do que é perder tempo...

PAULO LONTRO disse...

Gata,
pois é isso temos que viver bem o tempo que temos.

PAULO LONTRO disse...

najla,

Sim há rotinas obrigatórias, sem duvida mas se essas existem e não podem ser evitadas já é bem bom termos a capacidade de evitar as que dependem de nós e não são absolutamente obrigatórias.

PAULO LONTRO disse...

Sprit,

Se pensarmos um pouco out of the box esse teu raciocínio faz toda a lógica.
Nós perdemos tempo em muitas atitudes aparentemente não rotineiras, por exemplo, como sabes eu viajei e ainda viajo muito e o que parece pouco rotineiro pode sê-lo mais do que aparenta ser.
Tento não fazer as mesmas estradas, tento não almoçar e jantar nos mesmos sítios, tento não estar com as mesmas pessoas, tento não dar as formações da mesma maneira, ou seja tento caminhar no desconhecido, só assim posso viver novas experiencias e tirar partido dessas constantes situações novas.
Claro que cada um tem a sua vida e as suas experiencias, o que proponho é que se encontre as rotinas que podem ser quebradas, as que dependem de nós.
Se as quebrarmos com prazer mesmo que, no fim, as expectativas não sejam atingidas é já um passo grande na direcção dessa aprendizagem e dessa vivencia de novas experiencias.

Ana Camarra disse...

Há vários tipo de rotinas, entre as que nos escravizam e nos fazem agir automáticamente, essas devem de ser chocalhadas.
Mas existem umas boas, um beijo de boas noites, uma história que se conta a menino pequeno, não impedem de se contar histórias noutros dias, nem de dar beijos a qualquer altura...

beijos

PAULO LONTRO disse...

Ana,

felizmente há boas e essas...
dão vida!

vício disse...

impossivel não ser rotineiro!
era preciso ter uma memória muito grande para nos lembrarmos de tudo o que já fizemos e não o repetir...

PAULO LONTRO disse...

vício,

Isso é apenas a opinião de um VICIADO como tu...
lol lol lol.....