quinta-feira, 11 de setembro de 2008

ELAS COMPLICAM OU É MESMO EXIGÊNCIA ?

Gaja1 - Ai gaja! não sei que lhe faça?
Gaja2 - Depende daquilo que procuras. O que é que te apetece agora?
Gaja1 - Apetece-me alguém que me encontre.
Gaja2 - Gaja, isso é complicado. Para procurares alguém assim tens mesmo que querer. Mas de verdade mesmo. Tens que estar preparada para isso.
Gaja1 - Ai gaja! Isso dito dessa forma até dói. Eu sei disso, mas tenho que pensar bem.
Gaja2 - Não tem que doer. Tens é que saber o que queres.
Gaja1 - Agora, vou é dar-lhe um toque e depois logo se vê.

No dia seguinte

Gaja2 - Então? Encontrou-te?
Gaja1 - Com 20 anos ainda tive que lhe ensinar o caminho.
Gaja2 - ahahahhahaha!!!!!!
Gaja3 - Vocês são passadas da cabeça. Até podiam alinhar os homens todos do mundo na muralha da China e nenhum servia.
Gaja2 - E que mal tem sermos exigentes e procurarmos no outro aquilo que temos para lhe dar?
Gaja3 - Não tem mal nenhum mas corres o risco de nunca encontrar.
Gaja2 - Já pensaste que a chave pode estar aí? Já pensaste que a felicidade e o desafio pode ser esse? De estar toda uma vida a procurar.
Gaja1 - Vocês são muito complicadas. Vamos é beber um Beirão ver se isso já vos passa.


Este texto foi escrito por Madalena Palma.
Publicado em PNETmulher - crónicas de M.P. em 11-09-08


Nunca tanto como hoje se ouve este tipo de diálogos.
Há alguns anos dizia-se que os homens não queriam compromissos e que a mulher nunca era a mulher certa ... hoje este tipo de comportamento deixou de ser exclusivo dos homens e é agora também muito feminino.
O que me leva a escrever isto é que eu acho que os motivos que levam as mulheres a este tipo de atitude é bem mais inteligente do que os motivos que levam os homens a atitudes semelhantes.
Nunca ouvi um homem dizer: Porque me hei-de contentar com isto se posso ter melhor?

17 comentários:

Filipe Rodrigues disse...

Uma coisa é certa, "quem tudo quer, tudo perde!"

Há homens sacanas e insensíveis, mas também há mulheres dessas... e como a estatísticas dizem que existem 7 mulheres para cada homem, parece-me que na sacanisse ganham elas... :D

Olhando para o texto que tens escrito eis o que eu interpreto (caso a caso):

Gaja 1 - É egocêntrica e só se preocupa com ela e com o que ela sente...

Gaja 2 - É a mais sensata de todas. Percebe-as mas é muito mais flexível...

Gaja 3 - É uma femininista que se está nas tintas para os homens, diria até que já se cansou deles... lésbica?...

Conclusão - se elas querem um gajo à medida delas, arranjem um escravo... porque uma relação CONSTROI-SE a dois!

Complicam, portanto!

Eh he he

PAULO disse...

Fil, concordar não concordo, mas que foste directo e claro lá isso foste :) :)

Vamos ver se há mulheres a chegarem-se à frente com comentários ....

spritof disse...

Paulo,
Perspectiva interessante, a tua conclusão.

Mas há homens que dizem precisamente isso: "Porque me hei-de contentar com isto se posso ter melhor?"
Só que referem-se a "propriedades" diferentes daquelas que as mulheres se referem.
;)

Agora a sério,
gosto desta nova atitude desprendida e liberal das mulheres dos dias de hoje. Acho-as mais autónomas, livres, e conscientes do seu papel e dos seus objectivos.
Acho que essa liberdade acaba por beneficiar as relações, e temos todos a ganhar.
Estamos, no entanto, a passar por um periodo de mudança e adaptação, que é sempre complicado e cheio de perversas situações.

Ianita disse...

Não esquecer que este é o nosso tempo, o das mulheres. Ainda não chegou um tempo que seja conjunto, de homens e mulheres.

Durante milénios vivemos na era do homem. Se repararem, das mulheres não reza a história.

Desde os anos 60 do século XX que a mulher tem vindo a conseguir umas coisitas que levam a este domínio de agora:

- acesso à educação
- direito a trabalho remunerado e nas mesmas condições do homem
- a pilula
- o fim do domínio da Igreja
- o divórcio
- a prisão pra gajos que batem em gajas

As mulheres passaram a ter controlo sobre a sua vida. Passaram a poder escolher o parceiro. Mais! Passaram a poder ter o direito à felicidade.

Se vamos cometendo erros? De certo. Mas é como uma nova democracia, demora tempo a fazermos tudo bem, mas chegaremos lá.

É lógico que o Filipe tem razão quando diz que uma relação se constrói a dois, mas ainda não chegou o tempo de homens e mulheres. Agora é o nosso tempo, pelo menos durante um bocadinho! :)

Além disso, querer alguém que nos encontre e não se contentar com alguém que chega a casa e se senta a ver tv não é de lésbica. Assim como querer ser feliz não é egocentrismo.

Digo eu. Uma gaja!

Ianita disse...

Esqueci-me de dizer que também quero alguém que me encontre. :)

TM disse...

Não acredito em homens perfeitos... não acredito em princípes... não acredito no homem ideal... apenas acredito na minha felicidade, aquela que quero partilhar com alguém imperfeito, e que realmente queira partilhar a sua felicidade comigo... E talvez assim, da partilha, nasça algo especial!!!!

Juliana disse...

Gosto da gaja 2, sabe dar os nomes certos às coisas...o que é certo é que mesmo sabendo o que se quer nao significa que se encontre, porque o que se quer pode ser dificil de encontrar, e nao é complicar é nao se contentar com menos, com o meio termo, com algo que nao seja o "pacote" completo....para cada uma de nós. E entre estar por estar, mais vale ir estando até um dia...
E enquanto se acreditar continua-se à procura, ou à espera, depende da personalidade de cada uma/um.
Até lá, vive-se cada momento, cada pessoa, cada experiencia até ao fim...
Filipe, desculpa, mas isso dos dois é que não é fácil de encontrar...
Estamos, sem dúvida, a assistir a uma mudança muito grande a este nível, por isso as "complicadas" têm um longo caminho interno e social e percorrer. Pq a sociedade ainda cobra muito, demais! Mas tudo bem, podemos bem com ela :)

E já agora, o "mercado" está muito mau, não está? Portanto, mudaria o titulo do post para "Elas complicam ou é mesmo falta de qualidade?" ou "Eles simplificam ou é mesmo o máximo que têm para dar?"

Beijo

Ianita disse...

Adorei a tua última proposta Juliana! Lindo! :)

aoutrarua@gmail.com disse...

Complicamos e somos exigentes... O que nos dá - às x, claro - inteligência para não nos satisfazermos com menos do que merecemos.
Mas isto são só generalizações... E eu não gosto muito delas, porque coisas de mulher típica - malas, sapatos, maquilhagens, compras, compras, compras - eu tenho pouco. A bem dizer, nada.

Filipe Rodrigues disse...

Agarrando no que a IANITA disse:
"Esta é a nossa era"... então, está na altura de serem as mulheres a encontrar os homens... Já que desde sempre têm sido os homens a procurar e a encontrar... ;)
Oh Ianita, acho que se os nossos antepassados foram bárbaros, nem eu nem tu, nem ninguém tem de pagar esse preço!
...
:D

Paulo, arranjaste aqui um tema que dá pano para mangas...

TM disse...

Filipe - Então qual é o vosso plano? Ficar sentados á espera?
Ao contrário do que disse a Ianita, eu não acho que seja necessariamente a nossa era, o que acontece é que as mulheres querem partilhar o direito á escolha... E talvez a palavra escolha não seja a mais acertada, mas como tu próprio o disseste, uma relação constrói-se, e as mulheres (pelo menos é a minha opinião pessoal) apenas reclamar para si o direito a participar nessa construção...

Filipe Rodrigues disse...

TM: não há planos no Amor! Quanto à construção, essa tem de ser feita com a participação dos dois... senão fica parecida à Torre de Piza, que mais tarde ou mais cedo, cai!... Isto para dizer que estou de acordo contigo!
;)

najla disse...

Já fui chamada muitas vezes de fria, insensivel e (menos) calculista!
Eu não gosto que me encontrem!
Eu gosto de encontrar!
Adoro ser mulher. Claro que há muitos tipos de mulheres.
A mulher disse um "basta" a todas as imposiçoes a que estava obrigada. A mulher durante muitos anos (e não há assim tanto tempo) era considerada propriedade, 1.º do pai e depois do marido! Aliás, verificava-se essa transferencia de "propriedade" pela adopção do nome do marido. Como se fossem "marcadas".
Hoje, a mulher felizmente saiu do escuro. Gritou por liberdade e independencia, emancipou-se e vai à luta!
Não sou feminista! Mas sou mulher!
E respondendo à pergunta do post, nós complicamos e somos exigentes!

Ianita disse...

São tempos complicados estes.

Acredito mesmo que a dois é que as coisas têm de ser feitas, mas ainda é muito complicado. Por termos sido subjugadas por tanto tempo,é difícil agora ceder...

Gosto muito, mas mesmo muito de ser mulher. E quando digo que quero alguém que me encontre, digo que quero alguém que me veja em toda a minha plenitude, que me veja em tudo o que sou, que me encontre.

Sou mulher e sou exigente. E quero um homem que seja perfeito na sua imperfeição e que me encontre. E não me contento com menos que isso. Quero viver e não apenas sobreviver. Quero ser feliz e não apenas mais ou menos...

Há homens que não entendem isto. Que a mulher tem o direito à sua felicidade.

aoutrarua@gmail.com disse...

najla, dear, tinhas que ser tu a concordar comigo! Complicadas e exigentes e "mai nada!" :-D
Quanto ao encontrar vs ser encontrada... No meu caso diria que encontrei. Encontrei e fiz tudo e isso acabou por definir muita coisa.... Agora hei-de ser encontrada! Hão-de cá vir! ahah

najla disse...

Aoutrarua, porque será que concordamos...eheheh!

Mas de facto, nunca fui muito de me deixar encontrar. Mas talvez em algumas situações da vida, deveria ter cedido um pouco - sim, para mim é uma cedência!

spritof disse...

na verdade, sou mais do tiop de ser encotrado que a encontrar...mas pronto, são feitios...devo ser tímido.