terça-feira, 7 de julho de 2009

H1N1 . . .








O que me faz pensar nisto é a diferença de avaliação dada à gravidade da doença.

Os governantes, as farmacêuticas e os órgãos de comunicação têm formas de tratar este assunto de forma completamente opostas.

Desde o alarmismo ao anti-alarmismo, somos levados a pensar que ignoramos totalmente as potenciais consequências de uma proliferação desta gripe em larga escala.

Penso eu de que…

13 comentários:

NI disse...

E eu também.

O bom senso deve imperar. Algumas medidas devem ser tomadas. Alguns conselhos devem ser difundidos e, acima de tudo, há que existir civismo.

Ora, aqui é que surgem os problemas no nosso País quando temos pessoas que continuam a tossir para cima dos outros sem o mínimo de educação; cospem para o chão com toda a naturalidade, etc, etc.
Entre nós, este será o maior problema. E o mais difícil de combater.

P.B. disse...

Parece que já chegou à minha terra! Centro de Saúde e Hospital em alerta total! :(

cantinhodacasa disse...

Vejo o número de casos a aumentar e fico com receio.
Parece que não nos "toca". Mas ela surge, de repente.


PS.: Há post teus que não aparece "comentários", logo não é possível escrever.

Beijinho

Ana Camarra disse...

Paulo

Continuo a achar que esta pandemia, grave sem dúvida, tem mão humana, seja por fabrico laboratorial puro e simples seja por alteração da cadeia alimentar com consequências imprevisiveis.
Já sei que achas que sou louca, mas não faz mal!
Em relação ao medo, tenho muito, por um motivo simples não existe cobertura de cuidados de saude no nosso país, excepto para quem tem possibidade de pagar...
Experimenta ir ás 6 da manhã para a porta do posto Médico á espera de consulta!

beijos

Missanguita disse...

Minha gente, todos os anos há gripe e todos oa anos morre gente com gripe.
Só não costume ficar doente depois de vir de vacaciones... A não ser com o trabalho que nos espera...
Keep in mind: há casos, sim, mas não são todos graves! É gripe!

Vera Angélico disse...

Eu acho um assunto pacífico, mas talvez não esteja por dentro da gravidade. O que sei é que acabamos por consumir aquilo que nos dão na TV, no rádio e nos jornais. Mas também sei que, só durante o ano passado, a gripe dita normal matou para lá do milhar de pessoas em Portugal, e ninguém fala nela...

Portanto,...

Pax disse...

A mim dá a sensação (e não falando apenas no caso especifico aqui referido) que somos tratados como bonecos a quem se manipula ao gosto de quem quer informar ou desinformar, de acordo com os seus próprios interesses e, apenas raras vezes e por mero acaso, coincidindo com os nossos.

paula'maria disse...

é triste...

najla disse...

Algo mais grave se está a passar e continuam a tentar fazer-nos crer que tudo está bem!


P.S. - Só te falta o Bobby e o Tareco...eheheheh

vício disse...

há uns dias vi na televisão alguém dizer que a gripe que hoje em dia é a mais normal, há uns anos também matou milhares de pessoas.
por isso se esta nova gripe provocar o mesmo... é normal!
pena que ela não seja selectiva ao ponto de limpar do planeta algumas pessoas...

ianita disse...

Ouvi um dia destes alguém dizer que a nossa ministra da saúde tem tido um papel importante... a verdade é que ela pouco fala e quando fala é com uma calma...

Contrasta com o alarmismo da TV... e a verdade é que ainda bem. Porque o anti-viral não chega para toda a gente (foi isso que ouvi) e se o pessoal começasse a correr pras farmácias para comprar, depois não haveria o suficiente para tratar quem de facto é infectado.

É bom que se informe. É bom que quem tem sintomas que seja tratado de imediato. Quem não tem sintomas não tem nada que andar a tomar medicamentos, até porque podem criar resistência e depois como é se mais tarde ficarem doentes?

K disse...

Até ver a letalidade/mortalidade do vírus é extremamente baixa; porém é extremamente contagioso. Principal preocupação: que o vírus sofra mutações, como é comum acontecer com as estirpes da gripe (daí que todos os anos as vacinas da gripe sejam diferentes), e que se torne mais grave, a par do que aconteceu com pandemias anteriores (as pandemias da gripe têm sido cíclicas). A proliferação em larga escala já está a acontecer; já estamos no nível 6 da fase pandémica (a última antes do pico) e já nem se considera haver áreas afectadas; em Portugal já temos casos de contágio secundário.

Sugiro, além de todas as recomendações dadas pela ministra da saúde, o microsite da gripe que se encontra no topo do site da Direcção Geral de Saúde - www.dgs.pt

Qualquer outra dúvida apita que eu trabalho directamente com a pessoa responsável pelo plano de contingência aqui no tasco ;]

PKB disse...

Os Argentinos vão fechar para balanço. Isto porque a taxa de mortalidade provocada por este vírus é mais elevada que o número de doentes com o vírus em Portugal. Dá que pensar, não é?
E vamos lá ver como correm as coisas durante o Verão... e com a vacina só a chegar em Dezembro!