quinta-feira, 9 de julho de 2009

PERGUNTAS INCONSEQUENTES . . .

video

Um destes dias, no blog Crónicas de Nenhures, a TM fazia, muito ao seu estilo, algumas perguntas sobre a satisfação e os desejos.
Raciocinava sobre o momento em que estamos satisfeitos e se esse momento significaria que achamos que já temos o “suficiente”.
Fazia, por exemplo, estas perguntas;
Será que a vida nos dá aquilo que desejamos ou na medida daquilo por que lutamos?
De que nos vale sermos exigentes... será que conseguiremos ficar satisfeito com menos daquilo que sonhámos?
O que será o suficiente.... e qual é o problema em ser-se exigente?

Eu continuo a não ter a certeza de que alguma vez fiquemos satisfeitos por completo, sem que no entanto se tenha que pensar se é ou não suficiente.

Algo me diz que quem luta pela satisfação total, lutará até à morte.

O mais importante é sabermos viver e aproveitar a satisfação que já temos, ou que vamos tendo em cada momento, sem que isso nos impeça de ir fazendo novas conquistas ou partir para novos objectivos.

Vejo muitas pessoas na rota de uma conquista, de um destino, sem tirar prazer do caminho que leva a esse mesmo objectivo, e quando assim é, corre-se o risco de nunca viver com prazer o dia-a-dia nem ter o prazer do doce sabor de experimentar.

Os nossos sonhos podem ser os de atingir algo e isso não passa apenas pelo fim (objectivo) mas também pela satisfação roubada ao processo para lá chegar.

23 comentários:

Who Am I disse...

Sabes...és um senhor!

TM disse...

Um dia li algo escrito por um senhor que muito admiro que dizia:
"todo o mundo quer viver no cimo da montanha, sem saber que a verdadeira felicidade está na forma de subir a escarpa."
........

Cris... disse...

Sim, eu sempre achei, como outros, que a vida é uma viagem, e não apenas um destino.
E temos que dar valor e apreciar as paisagens que vamos percorrendo, e não fixar no destino o olhar, porque a verdadeira essência é o que nos acontece até lá chegar.
Quanto mais longa a viagem, quanto mais longínquo o objectivo, mais riqueza!

PAULO LONTRO disse...

WAI,

Ok, suponho que é um elogio.
Sou um senhor que acha que a vida corre depressa demais e como tal cada minuto deve ser bem aproveitado. Certo?
;)

PAULO LONTRO disse...

TM,

É isso mesmo, sintonizo com esse senhor.

PAULO LONTRO disse...

Cris,

Como sabes eu vivi em Itália uns anitos e via muitas vezes os japoneses a entrar em salas de museu com o aparelho de filmar no olho, davam a volta á sala sempre a olhar para o visor.
Presumo que quando chegassem ao Japão (ou à Coreia, não os distingo) fossem ver o que pensaram ter visto em Itália.
Dá para entender?
Kiss Lontro
;)

leitanita disse...

Dizia um entendido: o que importa é partir, nao é chegar! Fazer a viagem...

Samuel Alabastro disse...

"O mais importante é sabermos viver e aproveitar a satisfação que já temos, ou que vamos tendo em cada momento, sem que isso nos impeça de ir fazendo novas conquistas ou partir para novos objectivos."

Um hino - à sabedoria. Não científica. Mas emocional...

FATifer disse...

Diria que está na essência do ser humano querer sempre mais qualquer coisa mas, como dizes, sábio é quem consegue apreciar o caminho sem estar obcecado pelo destino.

Abraço,
FATifer

Who Am I disse...

Sabes...isto escrito não tem a força de quando o digo. Claro que é um elogio. E dos maiores que costumo fazer :)
Certo,certo.

beijinho

Gata2000 disse...

Se não fosse a nossa constante insatisfação a vida perderia metade do sabor, porque o que realmente importa são os meios que se utilizam para atingir os fins, e depois de concretizados os objectivos começar tudo de novo.

PAULO LONTRO disse...

Leitanita,

Tudo é importante, cada dia, cada minuto...

PAULO LONTRO disse...

Samuel,

Bem-vindo.
Será Samuel, será, e que seja dito por todos.

PAULO LONTRO disse...

Fatifer,

É essa mesmo, a mensagem que tentei deixar.
:)

PAULO LONTRO disse...

Gata,

Linda, há uma pequena variante à tua frase e faz toda a diferença, repara:

"Se não fosse a nossa constante insatisfação a vida perderia metade do sabor, porque o que realmente importa são os meios que se utilizam para atingir os fins, e depois de concretizados os objectivos começar tudo de novo."

agora lê:

Se não fosse a nossa constante SATISFAÇÃO a vida perderia metade do sabor, porque o que realmente importa é DESFRUTAR dos meios que se utilizam para atingir os fins, e o CAMINHO percorrido e depois de concretizados os objectivos começar tudo de novo, se possível desafios DIFERENTES.

Claro que há aqui algo filosófico e até subjectivo mas, a minha visão, vê a satisfação como o meio de evoluir e não a insatisfação. Não sei como explicar melhor mas é a conquista infinitamente pequena ou grande que me faz andar para a frente, a insatisfação faz-me mudar o caminho, escolher novos passos, até encontrar de novo as satisfações.

paula'maria disse...

todos os dias quando me deito, penso:
amanha não quero acordar, quero viver!

bom fim de semana paulo, um beijinho*

PAULO LONTRO disse...

paula'maria

é isso mesmo
bom fds para ti.
kiss

Gata2000 disse...

concordo com tudo o resto que alteraste excepto com a substituição da insatisfação pela satisfação.
A mim a satisfação encontra-me no pleno, a insatisfação move-me para alcaçar mais e mais longe.
Mas é por isso que tu és o Paulo e eu sou a Gata2000, não há 2 pessoas iguais.
Imagina que todos gostavam do preto, já viste o festim de côr que os olhos perdiam? e eu que amo o amarelo de paixão, onde estaria?

morningstar disse...

é verdade, sim senhor... apreciar a viagem... nem sempre é fácil! especialmente quando não se vê um fio condutor...

há uma música dos Editors chamada "The weight of the world" que fala um pouco sobre esse tema. o olhar para trás e perceber como os nossos passos (por vezes) confusos se alinham e formam uma direcção e uma história de vida. gosto muito dessa música.

bom fds a todos!

**
ms

PAULO LONTRO disse...

Gata,

poix, não poderiamos ser todos iguais...
:)

PAULO LONTRO disse...

morningstar,

De facto o "fio condutor" é muito fino e frágil, quase invisível...

O sentido dessa vida, muitas vezes, só se entende muito mais tarde, mas há sempre um sentido, sempre...!

kiss
;)

cantinhodacasa disse...

"O mais importante é sabermos viver e aproveitar a satisfação que já temos, ou que vamos tendo em cada momento, sem que isso nos impeça de ir fazendo novas conquistas ou partir para novos objectivos".

Percebi isto no dia em que te conheci. E pouco falámos.
Admiro-te.
Beijinho.

ianita disse...

Comento aqui, o que comentei lá...

"Já escrevi um post sobre esta sensação... (http://superianita.blogspot.com/2008/11/insatisfao.html)

Esta sensação de não estar satisfeita... ou de não ser satisfeita...

O que me parece é que a insatisfação não é inimiga da felicidade. Ou seja... podemos viver na insatisfação, querer sempre mais para podermos ser mais, mas sermos felizes com o caminho percorrido e com os objectivos alcançados.

Insatisfecta sum!! :)"

Beijos!