domingo, 1 de novembro de 2009

AMIGO vs CONHECIDO . . .

.





.
Uma noite de copos com dois amigos, há já mais de 8 anos em Milão, acabou com uma discussão, já cacofónica, sobre a diferença entre “amizade” e “simples conhecimento”.

A conclusão, já etílica pois claro, foi paradoxalmente lúcida.

Um “conhecido” que daqui a 5, 10, 20, 50,… anos, vem à nossa cabeça quando estamos muito felizes ou muito tristes, que sabemos que lhe podemos ligar ou encontrar, ter uma palavra, uma mão no ombro ou apenas um coração disponível, então é um “Amigo”, até lá, é um conhecido, “apenas” um conhecido.
.


.

Para a Juli e Oli

.

20 comentários:

cantinhodacasa disse...

Gostei das fotos.
Mas há conhecidos que chegam a ter atitudes mais nobres que um amigo.

E o vídeo, hummmm "Freddie Mercury", forever!
Beijinho

Paulo Lontro disse...

Cantinho,

Se seguires essa linha de pensamento, diferente da do Post, então até um desconhecido pode ter essa atitudes nobres.
Não é exactamente o que foco nesta ideia do amigo vs conhecido.

Vício disse...

hábito de rotular sentimentos... apenas isso!

Almofariza disse...

Um amigo começava sempre por ser um conhecido.
Conheciamos do café, do trabalho, da mesma praia, do amigo do amigo...até que este conhecido por um motivo qualquer ou um somatório de motivos passa a ser um amigo.

Nos dias de hoje conheço pessoas que têm amigos sem nunca se terem conhecido. É a evoloução dos tempos!

Cadês
Almofariza

Almofariza disse...

P.S- Fazes me lembrar o MEC!

Paulo Lontro disse...

Vício,

Talvez estejas a simplificar as coisas... talvez...

Paulo Lontro disse...

Almofariza,

antendi a 1º parte, depois na segunda, o que entendes por "sem nunca se terem conhecido", dizes fisicamente ou ao vivo?

Paulo Lontro disse...

Almofariza,

O MEC ......????!!!
Em que aspecto?
Nunca imaginei alguém dizer isso !

Rui da Bica disse...

A discussão vai interessante, mas como querem chegar a uma conclusão sem o dito “estado etílico” ???... :))

Mas a sério: eu compreendo perfeitamente o Paulo. Desiludam-se aqueles que julgam que têm muitos AMIGOS entre os seus “conhecidos / amigos”.
Os dedos de uma mão chegam para OS contar !
.

Quase Blog da Li disse...


O CONHECIDO, que se ve vez ou outra, se cumprimenta e no máximo comenta a previsão do tempo.
O COLEGA, esta por perto, faz parte de um círculo de trabalho ou coisa do genero e a conversa gira em torno do futebol, previsão do tempo ou novelas.
O AMIGO ou para quem tem muita sorte, OS AMIGOS: são os da roda, os etílicos, os da bronca, do consolo, da ajuda, os que calam, que escutam e os que falam. São poucos, bem poucos!
Como canta Milton Nascimento:
"Amigo é coisa para se guardar
Debaixo de sete chaves
Dentro do coração
Assim falava a canção que na América ouvi
Mas quem cantava chorou
Ao ver o seu amigo partir

Mas quem ficou, no pensamento voou
Com seu canto que o outro lembrou
E quem voou, no pensamento ficou
Com a lembrança que o outro cantou

Amigo é coisa para se guardar
No lado esquerdo do peito
Mesmo que o tempo e a distância digam "não"
Mesmo esquecendo a canção
O que importa é ouvir
A voz que vem do coração

Pois seja o que vier, venha o que vier
Qualquer dia, amigo, eu volto
A te encontrar
Qualquer dia, amigo, a gente vai se encontrar."

http://www.youtube.com/watch?v=SnWW6KAZras


(essa é para o Arruda)

Lia disse...

o amigo é a fase seguinte da evolução do conhecido! Nos conhecidos ganha a quantidade, nos amigos, vence a qualidade...

Ana Camarra disse...

Paulo

Há amigos e conhecidos, verdade, verdadinha.
Tenho amigos de infância daqueles com que partilhei um chupa e que nos tinhamos de esticar muito para tocar ás campainhas, tenho amigos mais recentes daqueles com que parece que partilho tantas afinidades que até doí.
Por outro lado costumo dizer que já conheço muita gente...
As caracteristicas especiais que nos fazem ser amigos são coisas absurdamente simples, mas acima de tudo a reciprocidade, a generosidade o não ter de usar defesas com aquelas pessoas.

beijos, amigos

Li disse...

A única coisa que me entristece é a facilidade com que, por vezes, um amigo se torna apenas conhecido. Mas como o vice-versa também é verdade, a coisa fica mais ou menos equilibrada!:)

Obrigada pelo comment :)
Passarei por cá mais vezes!

Gata2000 disse...

Sempre tive para mim que há os amigos que sabemos serem capazes de tudo por nós, e vice versa, aqueles a quem temos estima e os conhecidos.
Depois sei que à medida que o tempo vai passando e as relações se estreitam as categorias podem alterar-se, mas sempre no sentido ascendente - no entanto, há amigos que podem desiludir-nos, mas isso é como tudo na vida.

Paulo Lontro disse...

Rui,

Normalmente é assim, os "amigos" do Facebook não contam infelizmente...
:)

Paulo Lontro disse...

LI,
exactamente isso!
Linda a canção, aos anos que a não ouvia! Obrigado.

;)

Paulo Lontro disse...

LIA,

Sim, sim, pode ser uma evolução.
Pode também acontecer o contrário, um "amigo" desiludir e passar a conhecido.

;)

Paulo Lontro disse...

Ana,

Querida Ana, tu tens muitos amigos, basta conhecer-te como eu conheço para, obviamente, entender porquê !!!

kiss
:)

Paulo Lontro disse...

Li (a de Portugal...lol)

Claro, é bom manter os amigos, evitar que passem a conhecidos.
A amizade também se alimenta.

Aparece à vontade!

;)

Paulo Lontro disse...

Gata,

Pois é, mas partindo do princípio que, como já aqui foi dito, os amigos começam sempre por serem "apenas conhecidos" o que faz a diferença é o FACTOR TEMPO e o FACTOR PRESENÇA INCONDICIONAL.
Será? Tudo me indica que Sim, que assim seja.